Iansã - Características e Oração da Orixá Guerreira

Iansã, Matamba, Oyá


Filha de Iemanjá com Oxalá e irmã de Oxum, Obá e Oxóssi, foi coagida a casar com Ogum, todavia compartilha um grande amor com Xangô, sendo comumente saudada após os trovões, porque o “Senhor da Justiça”, não atingiria quem se lembrasse do nome de sua amada.


Iansã (significa “mãe do céu rosado” ou “a mãe do entardecer”). É a Yabá dos fenômenos da natureza: Orixá dos ventos, furacões, tufões, raios, e as chuvas torrenciais. Surge quando o céu se precipita em água e ventania, rege os raios e tempestades.


Pode ser interpretada como uma orixá ligada a constantes mudanças, que podem ser extremamente abruptas em determinados momentos.


Esta orixá está ligada aos atos impulsivos; as grandes tormentas espirituais, que precisam de muita energia e coragem para serem controladas e vencidas.


Ela representa o movimento, o fogo, a necessidade de mudança, de deslocamento. É a rapidez de raciocínio (o raio), a impulsividade, a coragem, lealdade, franqueza, transformações materiais, avanços tecnológicos e intelectuais, a luta contra as injustiças.


Auxilia no despertar da consciência e no equilíbrio das ações humanas.


Orixá guerreira, que domina os eguns, e comanda os espíritos dos mortos (recém-desencarnados) entregues a Ela pelas mãos de Obaluaê. Quando o corpo é entregue de volta ao barro de Nanã, é Iansã (a Senhora dos Cemitérios) quem conduzirá o espírito a evolução em planos superiores.



Ilustração de Iansã (créditos na imagem)

Ela possui uma Espada e um eruexin (instrumento mágico feito com crina de búfalo em um cabo de metal adornado com contas e búzios, parecido com um espanador) e com eles ela move ventos no mundo físico e encaminha os mortos no mundo espiritual, conduzindo e subjugando os espíritos sem evolução.


Iansã é a orixá associada à Santa Bárbara no catolicismo, devido a influência da santa cristã sobre os raios, tempestades e trovões.


Santa Bárbara foi morta pelo próprio pai, por se converter ao catolicismo, que morreu logo após matar sua filha, atingido por um raio na cabeça.






A santa católica é homenageada anualmente no dia 04 de dezembro quando os fiéis da Umbanda também fazem oferendas a Iansã, assim ambas tem o poder de controlar os raios, ventos e tempestades e são representadas segurando uma espada.


Epahey Oyá! Salve Santa Bárbara!



Saudação: Epahei Oyá! (pronuncia-se: eparrei oiá!)

Dia da semana: quarta-feira

Cores: marrom, vermelho, amarelo, laranja e rosa

Símbolos: espada, eruexin, chifre de boi

Elementos: ar em movimento, fogo

Domínios: bambuzal, tempestades, ventanias, raios, cemitérios

Fio de contas: Coral (marrom, bordô, vermelho, amarelo)

Número: 9

Animais: cabra, coruja, búfalo


Características dos Filhos de Iansã:

- São pessoas obstinadas, travam batalhas épicas, para alcançarem seus objetivos de vida e vencem assim grandes batalhas.

- Teimosos quando se trata de algum ideal que perseguem.

- Tendem a mudarem o caminho diversas vezes, se cansando facilmente de trabalhos e parceiros, sempre procurando guerrear por novos ventos em suas vidas.

- Têm dificuldade em dominar impulsos: amor, ódio, alegria, tudo em Iansã é intenso.

- Possuem um humor intempestivo e de muita energia criadora, são: criativos, inquietos e estão sempre a procura de novidades.

- Paixões avassaladoras também permeiam a vida dos filhos de Oyá, que com muita força conduz os relacionamentos, sempre cheios de fortes emoções.

- Ciumentos ao extremo, com tudo que pensam “possuir”, os filhos de Iansã podem criar verdadeiro drama quando traídos ou ameaçados em suas “posses”.

- São Grandes amigos, dados a defesa dos injustiçados e menos favorecidos, costumam ser caridosos e dão muito valor aos esforços feito por eles

- Defendem tudo que tem com muita garra e sofrem demais quando traídos por amizades, que se apegam profundamente.

- Vingativos, não perdoam facilmente. Não costumam esquecer seus inimigos e costumam perseguir com jogos de intriga aqueles que os ofenderam.

- São diretos e sem rodeios, assertivos, falam o que pensam e levam suas opiniões as últimas consequências, mesmo que traga situações de conflito.

- Gostam de chamar atenção e colocam sua opinião até mesmo onde não foram consultados.

- Ao serem maquiavélicos, sempre acabam mostrando seus objetivos e pretensões, pois são pouco estratégicos e agem muito pelas emoções.

- São extremamente divertidos e abertos.

- Sexualmente tendem à possuir muitos parceiros, sem conseguir ou desejar firma-se com alguém, podem ser muito liberais e não desejarem relacionamentos muito estreitos, com pessoas ainda mais possessivas que elas próprias, eles podem demorar um pouco mais a firmarem um relacionamento estável e duradouro em suas vidas, mas; quando acontece tornam-se muito companheiros, mas não necessariamente fiéis.


O desenvolvimento espiritual dos filhos de Iansã é de extrema importância para que eles consigam lidar melhor com aspectos difíceis de sua personalidade, como: raiva, impulsividade e etc. Abrindo-os à conquistas financeiras, pessoais e amorosas.

Se por um lado são alegres e expansivos, por outro; podem ser muito violentos quando contrariados. E isso; pode fugir ao controle diversas vezes na vida.


Por conta da tarefa espiritual desta Orixá, seus filhos podem atrair Mediunicamente espíritos de muito baixa vibração e quando não desenvolve suas capacidades mediúnicas, esses espíritos acabam por obstruir as boas vibrações espirituais trazendo estagnação em sua vida, riscos de acidentes, doenças, até mesmo a morte em fatalidades.


Trabalhando a espiritualidade, tudo isso fica pra trás e o filho de Iansã passa a ter uma vida protegida pela orixá guerreira.


ORAÇÃO:

“Iansã, Ó gloriosa Mãe guerreira, alento das almas perdidas, Senhora dos ventos, das tempestades e dos furacões. Dona de todas as direções! Poderosa divindade!

Face de Deus e expressão da Mãe Divina que resplandece sobre seus filhos Que se achegam a ti, clamando por piedade.

Nós que vivemos, à beira de tentações e abismos.

Protege-nos contra os maus espíritos, para que não tenham forças de atrapalhar nossa caminhada. Reveste-nos com sua armadura reluzente e empresta-nos Tua coragem, para irmos ao encontro do nós mesmos, do nosso próprio ser, atravessando nossa escuridão e encarando nossas trevas internas.

Daí-nos um roteiro de esperança e triunfo.

Erradicai a pobreza dos nossos sentimentos, orienta-nos para a verdade, dentro do caminho de amor e devoção ao supremo Criador.

Faça-nos forte para que nada destrua nossa paz de espírito.

Cubra-nos com seu manto sagrado e leve para longe, com a força de seus ventos, o que não nos acrescenta.

Fortaleça a união entre os irmãos para que amor prevaleça sobre a inveja dentro de cada coração e encoraja-nos, Senhora dos raios!

Para que nossa própria mente, siga numa só direção: amar a Olorum, Servindo-te, para que ao Seu lado possamos vencer todas as batalhas de nossa vida, de fronte erguida e rosto sereno ... E assim é!


Salve Santa Barbara! Êparrei Iansã!



Maria Amorim é dirigente do Templo Polimata Mairiporã

890 views

© 2021 Templo Polimata  - Todos os Direitos Reservados